Análise de Viabilidade para Loteamentos e Comunidades Planejadas

Inscreva-se
  • OBJETIVO

Visualizar a melhor alternativa para geração de valor da Gleba, fornecendo informações no tocante à sua viabilidade técnica, econômica e financeira.
O estudo servirá de parâmetro para a tomada de decisão pelos proprietários e empreendedores no interesse de desenvolvimento urbanístico de uma gleba.

  • PÚBLICO ALVO

Destinado a todos os profissionais das áreas imobiliárias, tais como: Terreneiros, Loteadores, Construtores, Empreendedores, Investidores e Corretores que desejam obter um diferencial competitivo no mercado.

  • CARGA HORÁRIA

16

  • PROFESSOR

- CRISTIANO RABELO

  • CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Parte 1: Comunidade e bairros planejados. Um novo olhar para o mercado imobiliário; 
• Bairro x Comunidade Planejada; 
• Impacto das Centralidades Urbanas dentro de um empreendimento; 
• Estruturação Integrada – Conceito de Charretes 
 
Parte 2: Avaliação da Absorção mercadológica do empreendimento – Viabilidade Mercadológica 
• Overwil de Inteligência de Mercado Aplicada a prospecção de um loteamento; 
• Definindo a área de influência para análise de um projeto 

Parte 3: Avaliação da base econômico-financeira do projeto – Viabilidade Econômico-Financeira
Estruturando e Analisando um Fluxo de Caixa de um loteamento


*Definição do cronograma do projeto;

*Simulando um empreendimento com mix de tabelas (parte à vista e parte à prazo); 

*Análise Estática – Uma visão técnica da eficiência do uso:

*LL/VGV – Lucro Líquido x Valor Geral de Venda;

*T/VGV – Terreno x Valor Geral de Venda;

*ML – Margem de Lucratividade;

*CGC-VGV – Custo Geral de Construção x Valor Geral de Venda;

*LL/T – Lucro Líquido x Valor Geral de Venda;

*AL/AT- Área Líquida x Área Total;

*AL/AE – Área Privativa x Área Equivalente.

*Análise Dinâmica (utilização);

_Definição de parâmetros de Benchmar. - Neste momento definiremos os critérios mínimos de aceite para determinação da viabilidade estática e dinâmica;

_Como realizar uma análise do fluxo de caixa de empreendimentos faseados (duas fases);

_Como analisar a eficiência da recuperação MENSAL do capital investido utilizando a taxa de rentabilidade ROE;

_Parametrização dos Principais Indicadores Financeiros e Técnicos do Projeto

_Visualização do tempo e da Exposição MÁXIMA e MÉDIA de Caixa. Como gerenciar essa variável? Visualizaremos a Visualização média de caixa, bem como o tempo de início da recuperação do capital;

_Gerenciando Retorno dos Investidores – ROE a valor presente;

_Como realizar o ACOMPANHAMENTO da viabilidade. Trabalhando com o projeto na Linha do tempo.

_Qual melhor estratégia de captação de recursos (funding)? (Cálculo na prática)


_Visualização da Securitização (possibilidade de estruturação para financiamento da Infraestrutura);

_Empréstimos junto a um fundo de investimentos;

_Parceria;


Em todo processo será possível analisar a Modelagem do fluxo de caixa consolidado do projeto (Proprietário do terreno, loteador, investidor);


_Fluxo de caixa do Projeto (SPE)


_Fluxo de Caixa do Loteador/Empreendedor;


_Fluxo de Caixa do Terreneiro (proprietário do terreno);


_Fluxo de caixa do Investidor; 
 
Parte 4: Análise de Sensibilidade ao Risco do Empreendimento.
 
Nesta parte do treinamento será feita uma apresentação de como podemos gerenciar os riscos envolvidos em um novo projeto de investimento. Serão detalhadas algumas técnicas para identificar a probabilidade de sucesso do empreendimento inclusive com a utilização do Método de Monte Carlo. 
 
_Como qualificar o risco envolvido antes de prospectar um loteamento? 
_Como gerenciar os riscos envolvidos no planejamento de lançamento do loteamento? 
_Qual diferença entre assumir o risco e correr o risco? 
_Aceitar ou não uma parceria? Uma abordagem inicial sobre risco. 
_Como definir as variáveis de maior sensibilidade utilizando o Gráfico Tornado; 
_Como fazer uma análise se sensibilidade utilizando a função Atingir Meta; 
_Como realizar Sensibilidade utilizando. O Solver para definir um cenário crítico dentro do projeto; 
_Como realizar uma análise de sensibilidade cruzada utilizando a tabela de hipóteses. Buscaremos entender se o projeto continua viável se as variáveis críticas do projeto modificarem (preço, custo). Conseguimos estabelecer o melhor modelo de entrada que maximize a geração de riqueza para o empreendedor. 
_Apresentação essencial da técnica de simulação de Monte Carlo 
_Qual a probabilidade do VPL ser maior do que zero? Qual a probabilidade da TIR ser superior ao custo do capital? O que é uma simulação de Monte Carlo. 
_Como estruturar as planilhas para simulação. 
_Como definir as variáveis e parâmetros estatísticos. 
 
_Como fazer uma simulação de cenários. 
_Conclusões e Resultados. 

  • PROGRAMAÇÃO

  • APROVEITE! PREÇOS PROMOCIONAIS:

Inscrições realizadas com até 10 dias antes do inicio do curso ganham um desconto de 15%.

  • Observações:

- Em caso de desistência, o valor da inscrição somente será devolvido mediante comunicação de até 48 horas antes do início do curso.

- A Universidade Secovi-MG reserva-se no direito de cancelar qualquer curso, caso não haja número suficiente de interessados para sua realização.



História e PQEX
Galeria
Ouvidoria

Seja um corretor
Parceiros

Associado
Não associado

3055-5353